Por que o treinamento corporativo deve ser uma atividade estratégica

2020-09-22T14:57:59-03:0022 setembro, 2020|Capacitação no Varejo|

Treinar os funcionários oferece uma série de benefícios à loja, ajudando-a a ser produtiva, ágil e rentável. Juntos, tais benefícios geram uma vantagem competitiva ao negócio, permitindo-o superar os seus competidores e se manter por longos anos no mercado.

Há muitas razões que justificam o treinamento corporativo. Se os profissionais são suficientemente treinados, a loja tem duas grandes vantagens: a) a redução de perdas provenientes de ineficiência e b) o aumento da vantagem competitiva do negócio.

A ausência de treinamento, por sua vez, pode somar uma série de implicações pouco satisfatórias. O desalinhamento ao longo do expediente, o mau atendimento aos clientes e a pouca motivação são alguns exemplos disso, mas existem vários outros.

Feita esta introdução, hoje, vamos explicar por qual razão o treinamento corporativo deve ser uma atividade estratégica e realmente valorizada dentro da loja. Boa leitura!

Aumento da produtividade ao longo do expediente

O sucesso de um estabelecimento está bastante ligado ao grau de produtividade. À medida que se consegue fazer mais com a mesma base de recursos (ou até com menos recursos), ganha-se em termos de economia de escala, tempo de trabalho e energia diária.

Felizmente, o treinamento é uma das mais poderosas ferramentas para o aumento da produtividade. Quando os profissionais são suficientemente qualificados, podem realizar as suas tarefas diárias com mais energia, precisão e assiduidade.

Por outro lado, quando os profissionais simplesmente não são treinados, as suas entregas diárias tornam-se mais “pobres”. Eles precisam repetir os mesmos processos, gastar mais insumos e corrigir erros, afinal, as suas primeiras tentativas são falhas.

Melhoria do alinhamento entre profissionais e equipes

Outra grande vantagem está no alinhamento. Boa parte dos objetivos de uma organização depende de trabalho coletivo. Caso apenas um ou outro profissional esteja preparado, a loja dificilmente conseguirá alcançar objetivos significativos.

Nesse caso, pense no treinamento como um mecanismo capaz de explicar para cada talento qual é o seu papel na loja e como realizá-lo. E mais: mostre que esse papel tem uma relevância maior, que é essencial para o trabalho conjunto e para o funcionamento do todo.


Profissionais treinados sabem que o seu trabalho depende dos seus colegas, bem como que os seus colegas dependem das suas entregas diárias. Logo, se um ou outro falha, os resultados finais podem ser insatisfatórios, gerando prejuízos coletivos.

Promoção do desenvolvimento de competências comportamentais

Por muitos anos, o treinamento dos profissionais e das equipes esteve ligado somente ao desenvolvimento de habilidades técnicas, como o uso de uma ferramenta específica ou o cumprimento de um protocolo de atendimento. Hoje, sabe-se, vai muito além.

Bons treinamentos permitem desenvolver habilidades comportamentais nos talentos, ajudando-os a mudarem a sua postura diária, além de reverem os seus valores e crenças. Isso garante que a equipe, pouco a pouco, esteja mais alinhada à cultura disseminada pela loja.

Isso tem uma série de implicações subsequentes. Permite, por exemplo, manter os talentos por mais tempo dentro do estabelecimento, aumentado o chamado fit cultural. Também reduz o número de conflitos interpessoais, de conversas paralelas e de processos trabalhistas.

Aumento do grau de fidelidade dos profissionais e equipes

Uma importante métrica para a gestão de pessoas é o grau de fidelidade dos profissionais, medido por meio do Employee Net Promoter Score. Quando os empregados são fiéis e vestem a camisa do negócio, a loja ganha de tantas formas quanto é possível imaginar.

Felizmente, o treinamento corporativo ajuda a otimizar a fidelidade interna. Sempre que participam de programas de qualificação, os talentos sentem-se valorizados. Isso ocorre porque percebem que a loja está investindo no seu crescimento profissional e pessoal.

Como resposta, os funcionários passam a ser mais fiéis. Falam bem do negócio para os seus amigos e familiares, tornam-se mais assíduos no trabalho e passam mais tempo no quadro de pessoal, sem interesse de migrar para a concorrência.

Subsídio ao desenvolvimento de lideranças internas

A criação de líderes é uma tarefa crucial. São esses profissionais que, no futuro, vão direcionar outros talentos e garantir que o negócio siga na direção certa. Sem uma boa liderança, a loja corre o risco de tomar o caminho incorreto e fracassar.

Felizmente, bons treinamentos ajudam a aproveitar quem já é parte da “casa” para desenvolver competências essenciais aos líderes — como boa comunicação, espírito de equipe, foco nos resultados finais e alinhamento aos valores, entre outras coisas.

Ou seja, com o tempo torna-se possível criar um “estoque” de potenciais líderes. São profissionais suficientemente treinados para superar os desafios diários, alinhar os seus colegas de trabalho, atingir metas e melhorar frequentemente.

Aumento da rentabilidade da loja

Há dois tipos de custos: os estratégicos e os não estratégicos. Os primeiros contribuem para o bottom line, tornando a loja mais lucrativa e rentável. Os segundos representam um custo qualquer, que pode até ser necessário ao funcionamento do estabelecimento, mas que não gera valor.

Sem qualquer dúvida, o treinamento é um tipo de custo estratégico. Ele ajuda a melhorar as tarefas existentes, a corrigir problemas diários e a aumentar a performance do time, garantindo que existam menos custos e mais receitas. Assim, toda a empresa é beneficiada.

Quando o treinamento não é visto como algo estratégico, o gestor cai no erro de cortá-lo para enxugar os gastos. O efeito pode ser justamente o oposto, pois os benefícios decorrentes do treinamento cessam, criando um negócio mais oneroso e menos competitivo.

Promoção de uma maior vantagem competitiva

É muito difícil mensurar o impacto direto do treinamento na competitividade da loja. No entanto, ao pensar em uma rede de causas e efeitos (na qual o treinamento promove uma série de benefícios que, juntos, elevam a competitividade do negócio), tudo fica óbvio.

Na prática, é exatamente isto que acontece: o treinamento das equipes gera padronização, precisão e qualidade, além de fidelidade e motivação. Sendo assim, esses benefícios levam a um efeito de segunda ordem, tornando a empresa competitiva e capaz de superar os seus competidores.

Agora, você está por dentro do tema e sabe por qual razão o treinamento corporativo deve ser considerado uma atividade estratégica. Então, aproveite para treinar os seus talentos com frequência e construir programas funcionais e que desenvolvam as competências reais. Nesse processo, boas tecnologias, como a Casting, podem somar uma grande vantagem.

Gostou do nosso artigo, não é mesmo? Então, aproveite para aprender mais sobre treinamento: saiba quais são as vantagens da gamificação e como aplicá-la na sua loja. Vamos lá!

Deixar Um Comentário