Dashboard de vendas X ferramentas de BI: entenda as diferenças

2021-03-09T09:08:45-03:0015 fevereiro, 2019|Capacitação no Varejo|

Quando pensamos em gestão de vendas, logo aparece em nosso caminho duas tecnologias importantes: o Dashboard de vendas X ferramentas de BI.  Essas ferramentas de gestão, servem para nos mostrar com mais assertividade, os indicadores que são essenciais para elaborar estratégias de vendas.

Dashboard de vendas X ferramentas de BI: as duas ferramentas são importantes e capazes de tornar as vendas mais acertadas. Dessa forma, vai proporcionar o aumento de lucro da sua empresa. Descubra, nos próximos tópicos, as principais diferenças entre eles, e como escolher a ideal para fazer a gestão de vendas.

A forma de gerenciar empresas e liderar pessoas tem mudado muito. Em boa parte, graças aos avanços da tecnologia. Sendo assim, há duas inovações que representam o que há de mais moderno e atuam como bons exemplos disso. Mas como escolher entre dashboard de vendas X ferramentas de BI?

Por serem tecnologias novas, ambas ainda causam dúvidas. Em resumo, ferramentas de Business Intelligence (BI) dedicam-se à estruturação e análise dos dados. Já dashboards apresentam-se como painéis digitais para a gestão.

Nos próximos tópicos, vamos explicar as diferenças e dizer qual a melhor ferramenta. Acompanhe!

Dashboard de vendas

Dashboard tem o seu significado como: “painel de bordo” ou “painel de indicadores”.

Os Dashboards são painéis com indicadores, que normalmente servem para o gestor ter uma visão mais objetiva da situação atual da empresa como:

  • Faturamento,
  • Metas x resultados,
  • Situação financeira, entre outras.

Veja 4 melhores práticas na construção de dashboards em people analytics, clique aqui.

Business Inteligence (BI)

No início dos anos 80, começou a surgir a Business Intelligence. Isso porque a década anterior colaborou para que surgisse essa nova tecnologia.

Isso só foi possível com a transformação que aconteceu na década de 70 na forma de armazenamento de dados. Agilizando o processamento, puderam criar novas tecnologias, entre ela a Business Intelligence (BI).

A Bussinees Inteligence suigiu então para processar, organizar e enviar informações inteligentes para seu usuário.

Nas próximas décadas essa tecnologia foi se aprimorando para sistemas como: o EIS (Executive Information Systems), DSS (Decision Support System), Planilhas Eletrônicas, entre outros, ajudando na obtenção de dados tão importantes para as empresas como:

  • Base de informações
  • Elaboração de metas
  • Orçamentos e riscos financeiros

Objetivo da ferramenta

Podemos entender então que, a primeira e principal diferença que podemos observar, está no objetivo das ferramentas. O dashboard e o BI se dedicam a assuntos diferentes e isso deve ficar muito claro.

O painel de controle (dashboard) é uma ferramenta que visa facilitar a análise e o uso dos dados da empresa. Assim, não é preciso garimpar relatórios enfadonhos e que contam com vários dados desnecessários. O objetivo do dashboard é ir direto ao ponto, cortar o que não importa e gerar relatórios mais enxutos.

No entanto o Business Intelligence, por sua vez, tem por objetivo coletar dados (de dentro e de fora da empresa), estruturá-los e disseminá-los como informações mais completas. Em resumo, é uma espécie de organizador que soma inteligência às operações.


Usabilidade por nível hierárquico

Em geral, a administração de ferramentas de BI é de responsabilidade dos diretores, gerentes, gestores ou de especialistas na área. É preciso garantir que os dados certos sejam processados — e alguns deles são confidenciais — por isso seu uso se limita a algumas pessoas, que devem ser de total confiança.

Por sua vez, o dashboard é uma ferramenta mais democrática. Portanto, as informações disponíveis no painel podem ser personalizadas para atender às exigências de cada profissional que está usando a ferramenta. Por exemplo, os gráficos visíveis ao gerente podem não ser os mesmos disponíveis aos vendedores. Os gerentes podem visualizar os gráficos das vendas no geral, item por item, vendedor a vendedor. O vendedor pode receber e ter acesso apenas as suas próprias vendas, sem acesso aos colegas.

Então, é possível concluir que a administração do BI fica restrita à alta administração ou aos especialistas, enquanto o dashboard pode ser usado por todos os vendedores.

Relevância para o expediente de trabalho

Como é possível observar, as duas ferramentas são importantes, mas elas apresentam graus diferentes de relevância para o expediente de trabalho. Uma pode ser usada com maior recorrência, a outra depende de análises mais profundas e demoradas.

O dashboard apresenta informações (indicadores e métricas, por exemplo) no smartphone ou no tablet. Assim, pode ser usado de maneira imediata pelo gestor, supervisor ou vendedor, aumentando o grau de acerto no que é feito.

Ferramentas de BI também são relevantes, mas envolvem um movimento mais demorado — é preciso integrar, estruturar e disseminar dados. Ou seja, demanda um pouco mais de tempo para que seja útil ao time. Normalmente é necessário um computador ou um notebook para receber esses dados.

Incorporação de todos os dados da empresa

Em qualquer momento, em qualquer hora, todos os funcionários da empresa, do gestor ao funcionário recém chegado, o dashboard pode servir para alinhar informações importantes de toda a empresa. Inclusive comercial, logística e financeiro por exemplo.

O gestor pode elaborar sua apresentação, física ou por vídeo, em qualquer lugar do mundo, que as informações necessárias estarão em suas mãos. Além disso será de fácil acesso e entendimento para toda a equipe.

Use indicadores internos na gestão

O uso do BI e dashboard vai auxiliar diretamente na gestão de vendas com indicadores como:

1- Custo de produção

Você vai poder avaliar de forma simples esse indicador para que por exemplo, precisar tomar decisões importantes ao departamento de compras, quando há oscilações no custo da matéria prima ou falta da mesma. O objetivo é usar os indicadores de custo para também definir preço para a equipe de vendas. Se a produção for de alta escala, a tendência é proporcionalmente você reduzir o custo da produção. Se você produz menos, o custo fixo da produção é maior e impacta diretamente no seu resultado. Por isso o uso do BI e do dashboard para a controladoria de vendas tornou-se fundamental.

2- Custos fixos do negócio

Os indicadores do financeiro e tributário servem para mostrar quanto isso impacta diretamente no seu resultado. Alguns negócios por exemplo, o custo da conta de luz é bem relevante, impacta diretamente na margem de contribuição dos produtos. Sendo assim, essas previsões de orçamentos e de mudanças de custo, tanto para baixo como para cima, são importantíssimas para tomadas de decisões.

CTA ebook tecnologia

3- Pessoas e resultados

Usar indicadores claros para todos entenderem a importância que o impacto de uma área deficiente, faz que todo processo seja prejudicado. Ter um bom produto, com um bom preço, uma boa equipe de vendas, mas uma péssima logística, vai fazer seu cliente ter uma péssima experiência, não voltando a fazer negócios novamente e assim, influenciando no resultado de todos. Um indicador simples como analisar pedidos ainda em carteira, podem definir se você tem como se comprometer com o atendimento com o cliente, ou não.

4- Controladoria de vendas

Analisam margens e preços de vendas. Usam também indicadores internos e externos para definir qual o limite de preço que pode vender o produto. Quando um pedido estiver fora de parâmetro de preços, logo a controladoria é acionada para verificar a possibilidade de liberar o atendimento ao cliente ou não.

5- O faturamento

Indicador importante para estratégias durante o período de execução das metas. Um indicador nesse caso que se utiliza muito é a positivação, outros como a abertura de clientes novos, o cadastro de produtos novos, etc. O dashboard de faturamento pode aparecer com estáticas comparativas e com previsões de vendas, de acordo com o curso do mês, entendendo a meta proporcional.

6-  O estoque disponível

Essa informação precisa estar disponível não só aos gestores, mas a equipe de vendas. Os dados coletados devem ser cirúrgicos e assertivos. Muitas empresas hoje em dia têm seu estoque totalmente informatizado e scaneado. Basta um clique e localiza-se um determinado produto, de um determinado lote, e se já faturou esse produto, pelo número da nota fiscal, e por fim, rapidamente localiza essa mercadoria.

Outras empresas que ainda não dispõem dessa tecnologia, necessitam fazer isso da maneira antiga, manualmente. De qualquer forma existindo um controle de estoque virtual, sabe-se o que se tem, diminui o que está saindo, e teremos o estoque real, que deve conferir com aquilo que está se observando.

Esse controle de estoque, usando o dashboard é fundamental para prevenir falhas e também rupturas ou excesso de mercadoria.

Para usar esses indicadores com certeza você vai precisar coletar dados do BI, para usar de maneira eficiente o dashboard para fazer a gestão de sua empresa. O software de gestão de desempenho em vendas da Casting vai te mostrar qual a melhor forma de você usar esses e outros indicadores.

Essas são as principais diferenças para que você escolha entre dashboard de vendas X ferramentas de BI. Algumas ferramentas têm as duas funcionalidades. O Casting, software de gestão de desempenho em vendas, é um bom exemplo disso. Além de coletar e estruturar dados e atividades de BI, permite a visualização deles por meio de um moderno dashboard.

Agora que está por dentro do tema e sabe que é possível contar com o melhor das duas ferramentas, que tal entrar em contato conosco? Aproveite para tirar as dúvidas que ficaram.

Ir ao Topo